quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Espacialidades

A treta do espaço. Frase ridícula o “preciso de espaço”. Mas qual espaço? O espaço não importa, consegue fazer-de desaparecer, manipular, moldar, estender e encurtar pelas linhas de uma narrativa. O espaço somos nós que o fazemos, ou por outra, usando algo mais metonímico, o espaço somos nós. “Preciso de espaço”. Porque insistem em usar esta expressão quando as relações não correm da melhor forma, ou quando os sentires se vão aos poucos deixando de se sentir. “Preciso de espaço”. É que se fosse "do" espaço ainda percebia. Ainda era uma coisa concreta, palpável, algo que se consegue definir e apontar. Agora “de espaço”. O “de espaço” encerra sei lá o quê. “Preciso de espaço”. Mas porque ninguém diz que precisa do não-espaço. O não-espaço é muito mais original para se pedir, ou para se precisar. E as pessoas não sabem, mas são mais frequentes as vezes em que se precisa do “não-espaço” que “de espaço”. Quando se tenta apagar o espaço introduzindo um pénis numa vagina. Quando se tenta escapar do mundo apertados num abraço que apaga momentaneamente todo o espaço que está à volta. Por que raio é que nessas alturas ninguém diz: “Dá-me o não-espaço”. Porque pedem espaço quando o que realmente querem é apagar o espaço que o passado ocupa? Peçam “não-espaço”.

8 comentários:

Soul, Heart & Mind disse...

olha... percebo-te tão bem que...
apetece-me dizer palavrões...

e.o.

Mateso disse...

Espaço e não espaço... prosaicamenteRelação estável ou instável. Querer não querendo por querer sem querer...Assim se cria o dá-me espaço, ou o não espaço por dar...
Bj.

cris disse...

nao espaço ou o espaço, ambos vagamente amplos, ambos concentrados em si, circunscritos a linhas irregulares, fora de escala. esse espaço ou não espaço, de tudo o que tem, nada é físico. se pudessemos falar desse espaço como a presença de 4 paredes ou a ausência delas, poderiamos realmente escapar à força que sobre nós elas exercem. mas de um espaço ou de um não espaço, por mais que mudemos de paisagem, de dia, ou de hora, não podemos escapar ao seu peso em nós. na realidade o espaço de que se foge por vezes é daquele impossível de fugir, o próprio, mental, desorganizado, instável, espiral...
por vezes seria facil escapar aos demonios interiores, mas para onde quer que se vá eles persistem. na tentativa de encontrar uma pausa mental, um espaço em que os demonios nao respirem, por vezes acaba-se deixando de lado os que de nós são mais próximos...
um ar irrespiravel.
o espaço, querer fugir de tudo o que se encerra na mente...
nem sempre é facil, nem sempre equilibrável com o exterior,
sem afastar tudo o que à volta se encontra como se se tratasse de um pulso electromagnético...

Gasolina disse...

O espaço entre amantes é o não espaço. Coisa invisivel. Se o pudessemos ver sería um vão.

Um beijo

Henrik disse...

A mim incomoda-me quando pedem 'tempo' ora o tempo não se pede, esvai-se...foge-nos...

Expresso do Oriente disse...

Cá volto eu como auto-eleita porta-voz dos teus leitores para te pedir algum não-espaço: escreve!

Beijos ou abraços ou qq coisa desse género

E.O.

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava !

Tens desafio/prémio no meu blog!

beijinhosssssss


p.s.-Subscrevo... sempre que me disseram isso tive vontade de explodir...e de esclarecer logo a tradução _ 2Acabou tudo"...


cobardias contemporaneas;)

alexia disse...

Já senti falta de ar mas nunca achei que o espaço me resolvesse o problema:), acho-o pouco abrangente para o busilis da questão!
Grave é oferecer espaço de bandeja...uma vez aberto o precedente o não espaço é utopoia!
Bom ano:)